logo.gif








Diabetes Gestacional
O diabetes gestacional é uma doença que faz com que a mulher tenha intolerância a carboidratos. Ela começa no início da gravidez e pode continuar após o parto. São alterações que ocorrem durante a gravidez e podem atrapalhar a ação da insulina, prejudicando, assim, a entrada da glicose nas células do corpo. Com a redução na produção, a taxa de açúcar no sangue aumenta, causando o diabetes gestacional.

Diabetes gestacional.É importante identificar a doença no início da gestação, durante o pré-natal, a fim de evitar problemas para a mãe e principalmente nos bebês como: fetos muito grandes, imaturidade pulmonar fetal, hipoglicemia (baixa taxa de glicose no sangue), hipocalcemia (pouco cálcio no sangue) e má formação do bebê.

Com o diagnóstico sendo feito no início da gravidez, o médico poderá recomendar o melhor tratamento. Será indicada uma dieta utilizada pelos diabéticos para que os níveis de glicose possam ser controlados. Estes devem ser monitorados e acompanhados pelo médico para que se tenha certeza de que estão no nível normal. A paciente pode melhorar com a dieta receitada pelo médico; porém, se o controle da glicose não ocorrer, ele pode indicar a insulina.

A verificação da taxa de açúcar no sangue é muito importante no início do pré-natal, pois ele já pode estar com uma taxa elevada. As pacientes devem realizar atividades físicas que sejam indicadas para seu estado. A utilização de insulina somente é feita caso a dieta não dê resultados em manter a glicemia em um nível aceitável ou quando o bebê estiver crescendo muito rápido. Deve ser evitado o uso de antidiabéticos orais e também adoçantes que tenham sacarina.

A maioria das mulheres que desenvolve essa doença, para de desenvolvê-la os sintomas quando o bebê nasce. Os níveis de glicemia devem ser verificados após o parto, pois existe a probabilidade de desenvolvê-la no futuro.

Fatores de Risco da Diabetes Gestacional

  • Idade acima de 25 anos;
  • Baixa estatura;
  • Propensão a hipertensão arterial;
  • Histórico de diabetes;
  • Crescimento rápido do feto;
  • Grande quantidade de líquido amniótico;
  • Aumento exagerado de peso na gravidez .

Glóbulos vermelhos. Pré-Diabetes

É o termo usado para denominar as pessoas que possuem a tendência para desenvolver diabetes. Ocorre em adultos que estão quase desenvolvendo o diabetes tipo 2; porém, nem todas as pessoas que tem essa condição, desenvolverão a doença. A idade, o excesso de peso, sedentarismo, a pressão alta e a taxa de colesterol são os principais fatores de risco para desenvolver a doença.

Para verificar a probabilidade de pré-diabetes, deve-se realizar a dosagem de glicemia (taxa de açúcar no sangue). A descoberta da pré-diabetes ajuda a reduzir a incidência do desenvolvimento dela para algo mais sério, pois o paciente altera sua rotina e seus hábitos. O médico é quem deve analisar o melhor tratamento que pode incluir também o uso de medicamentos. O teste de pré-diabetes pode ser feito por qualquer pessoa que tenha idade acima de 45 anos ou que estejam acima do peso ideal.

Não existe cura para a pré-diabetes; o paciente deve realizar medidas de prevenção como: comer alimentos saudáveis, parar de fumar, realizar testes de glicemia de forma regular, evitar a obesidade e ingerir pouco sal.
 
Fatores de Risco da Pré-Diabetes

-Histórico familiar;
-Sedentarismo;
-Hipertensão arterial;
-Histórico com doenças cardiovasculares;
-Colesterol diferenciado;
-Síndrome dos ovários policísticos.
 
 
Tipos de Diabetes   <<--  Diabetes Gestacional  -->>  Insulina